compartilhe>

Direção dos sindicatos e seus departamentos jurídicos estarão atentos a “movimentos paralelos” contrários à mobilização da categoria na Assembleia Legislativa

Estamos às vésperas da Audiência pela Valorização do Servidor Penitenciário, que ocorre nesta terça-feira (17), numa importante mobilização reunindo a categoria das 9h às 12h, no Auditório Franco Montoro da Assembleia Legislativa (Alesp). Infelizmente, temos recebido mensagens afirmando que o ato não foi organizado pelos sindicatos - SIFUSPESP, SINCOP e SINDASP - que integram o Fórum Penitenciário Permanente. 

A direção das entidades sindicais esclarece que é somente devido aos filiados dos sindicatos que a mobilização foi organizada e será vitoriosa. São os associados, por meio da mensalidade sindical, que estão bancando os ônibus para transporte da categoria, faixas, alimentação, e toda a estrutura sindical como assessoria de comunicação e outros trabalhadores dos sindicatos. 

A reserva do local para a audiência pública foi atendida pelo deputado estadual Carlos Giannazi e, agora, é necessário que os egos sejam desinflados. Os três sindicatos estão unidos e neste dia 17 de setembro devemos mostrar nossa unidade, a unidade de toda a categoria aos deputados e deputadas da Alesp. 

Temos que tomar cuidado com movimentos paralelos que não têm nenhuma responsabilidade legal de representação dos servidores penitenciários. Os departamentos jurídicos dos sindicatos estarão a postos com a diretoria das entidades no evento para identificar possíveis atitudes que não têm qualquer ligação com nossa pauta de reivindicações. 

Sabemos como devemos nos portar, pois afinal somos agentes públicos regidos por um estatuto, e estaremos atentos caso haja infiltrados para tentar desestabilizar nossa mobilização. 

Ressaltamos ainda que todos os servidores penitenciários podem estar uniformizados para participar da audiência pública, assim demonstramos que o movimento é ordeiro e organizado. Não há nenhuma infração em estar uniformizado para mobilização da categoria e nem dentro da Assembleia Legislativa.

Avançamos na luta, a categoria se conscientizou sobre a necessidade de união e é este espírito que devemos manter. Serão quatro anos do “gestor” João Doria (PSDB) pela frente. Precisamos de organização na luta para vencermos esse governo e para avançar na conquista de direitos, por valorização dos servidores e servidoras penitenciários e pelo bem de toda a população do Estado de São Paulo. 

São Paulo, 16 de setembro de 2019

Fórum Penitenciário Permanente