compartilhe>

Salários com valores abaixo da inflação foram corrigidos após anúncio da gestão Doria em novembro do ano passado. SIFUSPESP considera índice irrisório e cobra reposição inflacionária e reajuste real para todos os funcionários do sistema prisional.

 

por Giovanni Giocondo

O aumento de 5% nos salários das forças de segurança pública do Estado de São Paulo estarão disponíveis para os servidores ativos da Secretaria de Administração Penitenciária(SAP) serão creditados em fevereiro.

A informação foi divulgada pela assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Fazenda e Planejamento, após consulta feita pelo SIFUSPESP, uma vez que os valores corrigidos não haviam aparecido nos holerites divulgados nesta sexta-feira(31).

Vale ressaltar que o índice só valerá para os agentes de segurança penitenciária(ASPs) e agentes de escolta e vigilância penitenciária(AEVPs), já que o governo do Estado desconsidera as áreas técnicas e operacionais da SAP como parte do arcabouço da segurança pública.

O SIFUSPESP, enquanto representante de todas as carreiras que integram o sistema prisional paulista, considera essa divisão injusta e segue lutando para que os profissionais dessas carreiras sejam contemplados não apenas com os 5% de aumento, mas com uma valorização real dos seus vencimentos.

A campanha salarial da categoria, que terá assembleia neste mês de fevereiro - a data oficial ainda não foi definida -  será o caminho que todos os servidores do sistema prisional terão para pressionar o governo do Estado em busca da reposição inflacionária de seus salários e de um reajuste real que contemple o coletivo dos trabalhadores.

Cálculos do Índice Geral de Preços de Mercado(IGP-M), que é medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE), mostram que desde que aconteceu o último reajuste real nos salários da categoria, em julho de 2014, a inflação acumulada ficou em 37,66% até dezembro de 2019.

Enquanto isso, só foram concedidos à categoria dois aumentos irrisórios ao longo desse período. O primeiro em março de 2018, de 3,5%, e agora um de 5%, índices que não passam nem perto de cobrir o buraco nas contas dos servidores do sistema prisional, muitos deles com dívidas assumidas junto a instituições financeiras graças à falta de comprometimento do Estado com o reconhecimento salarial de seu funcionalismo.

A data-base da categoria vence em março e a luta por melhores condições de trabalho e valorização dos vencimentos vai aumentar em fevereiro. Reajuste real já!